O impacto da pandemia no valor das marcas

Presença, confiança e afinidade foram base da relevância dos anunciantes destacados no ranking Best Global Brands 2021.

A pandemia influenciou o modo de consumo das pessoas, digitalizando atividades, transformando tarefas, desde trabalho até em casa. As marcas precisaram apostar em uma reconstrução de sua relação entre negócios e sociedade. “As marcas mais influentes de 2021 estão construindo sua relevância além do consumo a partir de três dimensões: a presença, criando uma voz ativa nos assuntos de interesse de seu público; a confiança, agindo de acordo com um propósito que também seja relevante para a sociedade; e, por fim, a afinidade, desempenhando um papel significativo na vida dos clientes, tomando posições claras sobre os princípios e prioridades que são fundamentais para eles”, diz Beto Almeida, CEO da Interbrand.

A Interbrand divulgou nesta quarta-feira, 20, o Best Global Brands 2021, que ranqueia as marcas mais valiosas do mundo. As marcas de tecnologia dominaram o top 10. A Tesla registrou o maior crescimento desta edição (alta de 184%), após ter voltado à lista no ano passado, enquanto a Sephora foi a única marca nova em comparação a 2020 (entrou na centésima e última colocação). Assim, o Grupo LVHM passou a ser a primeira empresa a ter cinco marcas em uma edição do Best Global Brands, contando com Louis Vuitton (13º), Dior (77º), Tiffany & Co. (92º) e Hennessy (95º), além da de cosméticos.

O topo da lista é comandado pelas gigantes da tecnologia com Apple, em primeiro, seguida de Amazon, em segundo, e Microsoft, em terceiro. O trio principal corresponde a 33% do valor total da tabela. O Google está em quarto e Samsung, em quinto lugar. Além deles, o top 10 é composto por Coca-Cola, Toyota, Mercedes-Benz, McDonald´s e Disney, nessa ordem.

 

O impacto da pandemia no valor das marcas Best-Global-Brands-Table-2021-1-1

“O que o estudo revela é que as marcas que mais cresceram foram aquelas que souberam estar presentes na vida das pessoas de forma relevante e indo muito além de seu produto ou serviço e que com isso conquistaram a confiança e afinidade de seus consumidores”, explica Beto.

Além da Tesla, que ocupou a 14ª colocação, chegando a U$ 36,270 milhões de valor de marca, num avanço de 26 posições, duas marcas se destacaram em termos de evolução: Salesforce (em 38º, subiu 20 posições, com crescimento de 37%) e PayPal, que agora ocupa a 42ª colocação, subindo 18 colocações com crescimento de 36%.

“As Marcas Brasileiras Mais Valiosas” serão divulgadas pela Interbrand em dezembro.

 

Fonte: Meio & Mensagem

Água de Coco lança coleção com Netflix

Criatividade não conhece fronteiras. Assim, a grife de moda praia Água de Coco lança nesta segunda-feira, 18, a coleção Summer Streamming, em parceria com a Netflix.

 

Ícone da marca de streaming aparece em diferentes leituras em artigos como biquini cortininha, maiô, hot pants e sunga, assim como em camiseta, camisa, shorts, calça e boné

A coleção tem peças masculinas, femininas e sem gênero. O ícone da marca de streaming aparece em diferentes leituras em artigos como biquini cortininha, maiô, hot pants e sunga, assim como em camiseta, camisa, shorts, calça e boné. E complementando a coleção: bowl para pipoca, xícara e espreguiçadeira portátil dupla-face.

Segundo a Água de Coco, há mais afinidade entre as marcas do que se supõe e as peças unem as personalidades das duas marcas e o desejo de fazer parte das melhores histórias dos consumidores.

O shooting para divulgar a coleção foi protagonizado pelos influenciadores Cris Paladino e Julio Reis. A coleção será vendida nas lojas Água de Coco do Iguatemi Fortaleza, da Rua Oscar Freire, em São Paulo, e no e-commerce da marca para todo País.

Coleção tem peças masculinas, femininas e sem gênero (Crédito: Divulgação)
Fonte: Meio & Mensagem

Coca-Cola apresenta nova plataforma global da marca: A Magia Acontece

A Coca-Cola apresentou hoje sua nova filosofia e plataforma de marca global chamada “A Magia Acontece”, que convida todos a celebrarem a verdadeira magia da humanidade. A plataforma global atualiza a promessa de Coca-Cola de unir e inspirar pessoas ao redor do mundo no dia a dia – com relevância renovada para o mundo em que vivemos hoje. Criada a partir das principais lições que os últimos 18 meses deram a todos, a filosofia da marca busca mostrar que podemos encontrar a verdadeira magia no nosso entorno, quando nos reunimos em momentos inesperados e mesmo em tempos imprevisíveis, transformando algo cotidiano em extraordinário.

Ao mesmo tempo, A Magia Acontece também reconhece as muitas contradições vividas pelas novas gerações, que encontram harmonia e conexão humana em um mundo virtual e contraditório. Essa é a nova plataforma global da marca Coca-Cola desde 2016, lançada junto de uma identidade visual renovada, bem como uma nova perspectiva sobre o logo da marca que aparecerá em todas as suas comunicações.

Nova filosofia convida todos a celebrarem a verdadeira magia da humanidade. Novidade revela o “Abraço”, uma nova perspectiva do icônico logo da principal marca da companhia

Inspirado por sua representação nas embalagens de seus produtos, o logo “Abraço” eleva a marca registrada da Coca-Cola em garrafas e rótulos de lata dando uma assinatura visual que irá abraçar e enquadrar momentos de magia nas suas comunicações. A marca está trabalhando em parceria com artistas, fotógrafos e ilustradores para trazer à vida o conceito de A Magia Acontece por meio da adoção do logo “Abraço”.

Por meio de suas próprias visões distintas e sem filtros, esses artistas darão vida a momentos da magia do dia a dia de maneiras inclusivas e coletivas, mas também individuais e expressivas. Os parceiros de design incluem Wieden + Kennedy London, KnownUnknown e Kenyon Weston. “Coca-Cola é uma marca definida por dicotomias: humilde, mas icônica, autêntica e secreta; real e mágica”, afirma Manolo Arroyo, Global Chief Marketing Officer de The Coca-Cola Company.

“A filosofia A Magia Acontece está enraizada na crença de que as dicotomias podem tornar o mundo um lugar mais interessante – um lugar de pessoas extraordinárias, oportunidades inesperadas e momentos maravilhosos. Ao mesmo tempo, capta a essência da própria Coca-Cola: um verdadeiro sabor indescritível, único, um toque de verdadeira magia. ‘A Magia Acontece’ não é simplesmente um slogan ou uma campanha única, é uma filosofia de marca de longo prazo. Uma crença que conduzirá e guiará o marketing e as comunicações da marca Coca-Cola”, disse Arroyo.

Essa filosofia é lançada com uma nova campanha chamada “Estamos a uma Coca-Cola de distância”. Misturando mundos real e virtual, o vídeo é uma metáfora que fala à crença de que o que nos une é maior do que o que nos diferencia e celebra nossa humanidade. O filme, que foi lançado online no último 27 de setembro, questiona o que aconteceria se Coca-Cola, como um símbolo de união, pudesse aproximar universos separados para que a magia aconteça. O filme também apresenta três conhecidos gamers: DJ Alan Walker, Team Liquid’s Aerial Powers e Average Jonas.

Fonte: Mundo do Marketing

Ministério da Saúde lança campanha sobre a importância da doação de órgãos e tecidos

27 de setembro é celebrado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. Atualmente, 53.218 brasileiros aguardam órgãos para transplante. Pensando nisso, o Ministério da saúde apresenta sua campanha com uma abordagem emocional.

Com criação da agência nova/sb, a campanha destaca uma canção especialmente composta para o Ministério da Saúde, que tem como objetivo fazer uma conexão emocional para a sociedade discutir o assunto, propondo uma conscientização sobre a importância da doação de órgãos e tecidos e seu potencial de transformar um momento de dor na possibilidade de fazer o bem para outras pessoas. O filme começa a ser veiculado nesta segunda-feira, 27, em TV aberta e fechada e em canais digitais. A campanha também conta com peças para rádio, internet, mídia impressa e mídia exterior.

A campanha conta com a participação da cantora Naiara Azevedo

“Estou muito feliz de ser porta-voz dessa campanha. Quero dizer que sou doadora de órgãos, já comuniquei a minha vontade para minha família. Caso você seja um doador e ainda não conversou com a sua família, basta comunicá-los”, disse a cantora durante a gravação.

Com o título “Deixa o mundo todo saber”, a música traz versos inspiradores sobre saudade, família e amor. As cenas mostram a intepretação de Naiara Azevedo, que usa um laço verde, símbolo da campanha de doação de órgãos. Paralelamente, são apresentadas imagens de famílias que expressam suas emoções diante da oportunidade de transplantes. As cenas também mostram várias pessoas que seguram cartazes com as frases “#Doe órgãos”, “Fale com sua família”, “Sou um doador”, “Salve vidas” e “Vidas se transformam”. O lettering do filme informa que “Milhares de brasileiros aguardam por um transplante” e que “Com a doação de órgãos muitas vidas se transformam”.

Dia do Quiropraxista

18 de setembro – Dia do Quiropraxista
Nossos PARABÉNS a todos os profissionais que transformam dores em sorrisos.
Há 126 anos foram feitos os primeiros ajustes, da maneira que isso se tornaria uma profissão que entrega saúde, qualidade de vida e bem-estar.
Desde o primeiro ajuste até os dias de hoje, já são milhares de pessoas beneficiadas pela quiropraxia.
A Quiropraxia vem ganhando cada vez mais destaque, como escolha de profissão para quem deseja atuar na área da saúde e como escolha para a manutenção de uma vida saudável, pelas pessoas que escolhem se beneficiar deste tratamento.
Cada ajuste feito no paciente, é feito pelas mãos e com o coração do quiropraxista.
Essa é nossa homenagem a todos os profissionais de Quiropraxia do país!

Havaianas monta um squad com atletas patrocinados do time de natação focados na criação de conteúdo

Havaianas segue caminhando em direção às transformações positivas impulsionadas pelos esportes, agora com o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). A marca está desenvolvendo um calçado especial adaptado, com 7% da renda líquida revertida para o CPB, que tem previsão de lançamento para 2022.

Marca também está desenvolvendo um calçado especial adaptado, co-criado com os paratletas brasileiros

Para os jogos, os atletas receberam produtos exclusivos Havaianas, como sandálias, mochilas e street bag, além de Espadrilles como opção de calçado fechado para atender as necessidades de todos os atletas. Para os cadeirantes, Havaianas convidou Edênia Garcia, paratleta de natação, para contribuir no desenvolvimento de uma necessaire especial, adaptada para o encaixe na cadeira de rodas.

“Poder cocriar com Havaianas foi algo inovador! Eu acredito que as pessoas com deficiência são chave fundamental no processo de criação de produtos feitos para nós. Me senti incluída nesse processo desde o início! A bolsa ficou funcional e linda!”, afirma Edênia Garcia. Além da co-criação, Edênia e outros três paratletas da natação também serão parceiros de conteúdo para as redes sociais. Com a falta de público presencial, a cobertura nas redes sociais ganhou uma proporção ainda maior. Para isso, a marca investirá em ações nas redes sociais, principalmente no Twitter, além de parcerias com influencers.

Fefa Romano, CMO de Alpargatas ressalta que, “A ideia é continuarmos a conversa iniciada em julho, que foi um sucesso. Por isso, quem quiser acompanhar os atletas e ficar por dentro dos jogos, pode ficar de olho nas redes sociais de Havaianas. Faremos uma cobertura de tudo o que está rolando em Tóquio, com muito bom humor. A nossa relação com os comitês começou pelo CPB. Fazer esse produto é um desafio e uma honra para nós. Havaianas tem muito orgulho de apoiar os paratletas Brasileiros em Tóquio. Em breve, teremos um produto ainda mais democrático no mercado e isso nos enche de orgulho”, conclui Fernanda.

O lançamento estará à venda nos canais de venda da marca, nas lojas físicas, pontos de venda e Digital Flagship Store.

 

Fonte: AcontecendoAqui

Cibersegurança: sequestro digital e os riscos à reputação

Na última quinta-feira, 19, a Lojas Renner sofreu um ataque cibernético que derrubou parte de seu sistema e deixou o site da companhia fora do ar. No mesmo dia, em um comunicado, a companhia esclareceu que “prontamente acionou seus protocolos de controle e segurança para bloquear o ataque e minimizar eventuais impactos.” A varejista também garantiu que seus principais bancos de dados estavam preservados e que faz uso de tecnologias e padrões rígidos de segurança. O pesadelo da Renner teve fim no domingo, 22, quando o aplicativo e o e-commerce da empresa já haviam sido reestabelecidos.

Ainda na sexta-feira, 20, o Procon-SP teria notificado a empresa pedindo explicações sobre o ataque sofrido. Segundo informações do mercado, o ato criminoso teria sido um ransonware, também conhecido como sequestro digital, em que os dados são capturados em troca de um resgate. Em junho, a JBS USA, subsidiária da brasileira JBS nos Estados Unidos, confirmou ter sido vítima de um ataque como esse e pagou o equivalente a US$ 11 milhões em resposta a ação criminosa. O caso da Renner gerou repercussão, inclusive, entre outras empresas que se solidarizaram com a companhia.

Bruno Telles, COO da BugHunt, e Fellipe Guimarães, CEO da Codeby, explicam como funcionam as invasões aos sistemas de empresas e que riscos eles podem gerar

Em uma live do portal InfoMoney, na sexta-feira, 20, Marcelo Pimentel, CEO da Marisa, ressaltou sua repulsa com o caso e afirmou “não é uma fragilidade deles”, se referindo às lojas Renner. Ataques de grande repercussão, como o da Renner e JBS, ilustram um problema que se intensificou nos últimos meses. Segundo dados levantados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), agência regulada pelo Ministério da Economia, os ataques cibernéticos contra empresas brasileiras cresceram 220% no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2020. Já segundo um relatório recente da Gartner, globalmente, o prejuízo financeiro com ataques cibernéticos pode chegar até US$ 50 bilhões em 2023.

Para profissionais que atuam com cibersegurança, a aumento dos ataques está relacionado com a digitalização acelerada. “Acreditamos que o aumento expressivo esteja diretamente relacionado a ‘digitalização forçada’ que as empresas foram obrigadas a passar por conta da pandemia. Muitas empresas migraram seus serviços às pressas por conta da necessidade e com isso muitas vulnerabilidades e vertentes de ataques foram criadas”, aponta Bruno Telles, COO da BugHunt, plataforma brasileira de Bug Bounty, programa de recompensa por identificação de falhas.

Sequestro digital

Mas, afinal, o que são e como funcionam os chamados sequestros digitais? “Sequestro digital é o termo popularmente utilizado para falar sobre a invasão de hackers através de brechas na segurança no acesso à rede ou ao servidor da empresa e também através de e-mail ou pendrive infectado”, explica Fellipe Guimarães, CEO da Codeby, startup de desenvolvimento web e e-commerce. Na prática, por meio de softwares maliciosos os criminosos criptografam arquivos e informações das vítimas e solicitam um valor para resgate. Este tipo de ataque, geralmente, impossibilita o acesso a arquivos e informações e deixa os sistemas inoperantes.

Os danos que podem ser causados por ataques como esse vão desde o prejuízo financeiro até danos sérios a reputação das empresas. “Entre as principais motivações de ataques estão causar dano real, que possa comprometer diretamente os recursos da empresa; vandalismo comercial, tendo em vista interferir na produção e na linha de frente; e o vandalismo de reputação, quando as falhas da empresa vêm à tona e ela pode ficar desacreditada no mercado e entre os clientes, impactando diretamente no valor da marca”, analisa o CEO da Codeby.

Além disso, no caso de vazamento de dados sensíveis dos consumidores, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) responsabiliza as empresas que não garantirem a segurança dessas informações. As companhias podem sofrer sanções administrativas, como a divulgação pública da infração. Ainda neste mês de agosto, entram em vigor também multas que podem chegar até R$ 50 milhões por infração.

Entre as maneiras de tentar evitar ataques estão uma série de medidas de cibersegurança que incluem manter sistemas ativos atualizados, implementar proteção de endpoints até o uso de programas de recompensas, em que as empresas podem contar com auxílio de comunidades de cibersegurança para testar seus sistemas e serviços. “Tudo isso deve ser implementado através de políticas de segurança e normas complementares. Além disso, também é necessária a execução constante de ações para conscientização dos colaboradores quanto à segurança das informações e riscos cibernéticos”, defende o COO da BugHunt.

Fonte: Meio&Mensagem
Por: Taís Farias
*Crédito da foto no topo: iStock 

Brasileiros querem atenção das marcas no pós-compra

Pesquisa global da R/GA mostra que consumidores do País são mais exigentes em relação às experiências oferecidas pelas empresas.

exigência do público brasileiro em relação aos produtos que compram e utilizam está alta. O estudo “The Power of Brand Relationship Design”, realizado pela agência R/GA apara analisar o comportamento dos consumidores no pós-compra em nove mercados das regiões da América do Norte, Europa, América Latina e Ásia-Pacífico.

O estudo apontou que 82% dos brasileiros desejam que suas experiências de compras vão além da entrega correta das mercadorias e que 80% deles compram seus produtos com base na experiência que tiveram com as marcas. Entre os consumidores de todos os países que compõem a pesquisa, os brasileiros são os mais exigentes: 50% declararam que não têm certeza se repetiriam uma experiência de compra com uma marca.

Um dado da pesquisa pode ser importante para o trabalho das empresas e marcas que atuam na área de programas de fidelidade. Embora praticamente a totalidade dos consumidores brasileiros (95%) tenha declarado que os incentivos e programas de fidelidade oferecidos pelas empresas são importantes, apenas 12% admitiram que fazem uso dessas vantagens.

Outra percepção trazida pelo estudo é a falta do sentimento de comunidade gerado pelas marcas. No Brasil, apenas 27% dos entrevistados declararam que se sente membro da comunidade de alguma empresa ou marca e apenas 19% dos entrevistados sabem da existência de programas de fidelidade ou de comunidades das marcas que consomem.

A personalização também é um elemento que chama a atenção: 92% dos brasileiros da pesquisa disseram que gostariam de receber comunicações personalizadas sobre produtos e serviços que podem ser interessantes para seu perfil e cerca de 88% se mostrara m interessados em experiências personalizadas e interativas para obter informações e suporte.

O estudo da R/GA mostrou que, nessa etapa de pós-venda, 98% dos brasileiros consideram que as prestações de serviço mais importantes são suporte e assistência, atendimento flexível e rastreamento de entrega, além de comunicação em tempo real.

A pesquisa foi realizada com 1500 consumidores brasileiros de junho a setembro do ano passado. No total, foram analisados 16 mil consumidores dos mercados dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Austrália, China, Japão, Singapura, Argentina e Brasil.

 

Fonte: Meio & Mensagem

Nubank, iFood e Havaianas são as mais presentes para brasileiros

O Nubank assumiu a liderança da edição 2021 do ranking “As marcas que conquistaram o Brasil”, estudo realizado pela Ecglobal para medir a conexão emocional entre marcas e consumidores. A empresa elabora o ranking a partir do Net Love Score (NLS), que avalia fidelidade, preferência, love power, amplitude, loyalty score e intensidade. Em seu terceiro ano, o estudo entrevistou 3.182 internautas, que avaliaram marcas de 30 categorias, em nove segmentos de produtos e serviços.

Estudo “As marcas que conquistaram o Brasil”, realizado pela Ecglobal, avalia a conexão emocional entre marcas e consumidores

Em 2021, as marcas tradicionais se colocaram em melhores posições do ranking total, dando ênfase nas que puderam oferecer maior conforto dentro da casa do cliente. Após a líder Nubank, aparecem, pela ordem, iFood, Havaianas, Netflix, Coca-Cola, WhatsApp, Uber, Omo e Samsung (empatados em oitavo lugar), YouTube e Nestlé.

O destaque ficou para as marcas de tecnologia, que continuaram relevantes neste segundo ano de pandemia, mas também para os serviços de aplicativo de entrega e banco digital. Para a edição de 2021, novas categorias entraram na pesquisa: aplicativos de serviços de entrega, produtos de limpeza do lar, produtos para lavar roupas, materiais de construção e decoração, serviços de streaming de vídeo e de música e canais de TV por assinatura.

Nubank, iFood e Havaianas são as mais presentes para brasileiros tabela-marcas-arte-mm-575x700-1-1

\

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De acordo com o Alan Liberman, CGO e Co-CEO da Ecglobal, as marcas que se encaixaram no top 10 foram marcas que tiveram uma maior conexão emocional com os seus consumidores e cliente. “Em 2020, notamos que as marcas de tecnologia tiveram um grande destaque, pois elas foram fundamentais em um momento crítico da pandemia, provendo comunicação e lazer para uma grande quantidade de pessoas que permaneceram boa parte do seu tempo em casa. Já em 2021, mesmo com o seguimento da pandemia, vemos um quadro mais equilibrado onde outras marcas mais tradicionais puderam ser relevantes trazendo conforto para os consumidores. Elas conseguiram gerar essa forte conexão emocional conquistando mentes e corações, ao fazerem parte do seu dia-a-ainda, criando expectativas únicas e relevantes. Os consumidores declaram que não poderiam viver sem elas, ou ficariam muito tristes se deixassem de existir”.

Fonte: Meio&Mensagem
Por: Henrique Cesar Mello

 

HOJE | Lançamento da AJOR – Associação de Jornalismo Digital

Os veículos digitais estão há alguns anos liderando a inovação no jornalismo brasileiro

 Nesta segunda-feira, 7 de junho, Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, está sendo anunciada a chegada da AJOR – Associação de Jornalismo Digital, que reúne 30 organizações de vários pontos do país. Entre elas estão organizações como Agência Pública, Congresso em Foco, Meio, Nexo, Repórter Brasil e Jota.Presidida por Natalia Viana, co-diretora da Agência Pública de Jornalismo Investigativo, a associação tem como principal missão o fortalecimento do jornalismo digital brasileiro. Suas atividades baseiam-se em três eixos de atuação: a profissionalização e fortalecimento das associadas, a defesa do jornalismo e da democracia e a promoção da diversidade.”Os veículos digitais estão há alguns anos liderando a inovação no jornalismo brasileiro. A associação vem para fortalecer esse cenário e portanto melhorar o nosso jornalismo como um todo em um momento em que ele enfrenta sérios desafios.”Para comemorar o lançamento, o Conselho da Ajor convidou o professor Rosental Alves, diretor do Knight Center for Journalism in the Americas para uma live no dia 10 de junho, às 19 horas. Rosental, que contribuiu para a articulação que levou à formação da AJOR, vai conduzir a conversa com os representantes da nova associação.
LANÇAMENTO
O AcontecendoAqui é assinante da AJOR e compartilha a primeira newsletter enviada hoje aos assinantes. E você pode conhecer seu conteúdo clicando AQUI