Dados da Kantar Ibope Media sinalizam um desempenho estável na comparação com os primeiros três meses de 2020, com recuo de 1,2%

Nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, os investimentos em publicidade no Brasil alcançaram o valor de R$ 11,2 bilhões, de acordo com dados revelados pela Kantar Ibope Media nesta sexta-feira, 7. O montante é 1,2% inferior ao registrado pelo mesmo estudo da consultoria no primeiro trimestre de 2020, o que representa, na visão da Kantar, uma estabilidade do mercado e um sinal de recuperação no ritmo dos investimentos após um ano de 2020 marcado por retrações econômicas decorrentes da crise da pandemia de Covid-19.

De acordo com Adriana Fávaro, diretora de desenvolvimento de negócios da Kantar Ibope Media, os resultados do primeiro semestre sinalizam uma acomodação do mercado publicitário em relação às novas lógicas de consumo que se desenharam após a pandemia e apontam que os anunciantes se conscientizaram da importância de manter uma comunicação ativa com seu público-alvo. Em 2020, a Kantar Ibope Media reportou um investimento total de R$ 49 bilhões em publicidade no Brasil, número 9,8% inferior ao registrado em 2019, período anterior à pandemia.

O desempenho dos negócios do primeiro trimestre foram impulsionados por alguns setores que ampliaram as verbas destinadas à compra de mídia, como o Imobiliário, que cresceu seus investimentos em 53%; o de telecomunicações, cujo investimento em mídia aumentou 43% no primeiro trimestre e Eletrônicos & Informática, cujas verbas de compra de mídia aumentarem 36%, segundo consultoria.

Esses três setores, na visão de Adriana, tem em comum o fato de refletir os novos hábitos de vivência e consumo da sociedade. As pessoas vem sendo obrigadas a passar mais tempo em casa, seja para trabalho ou para atividades de lazer, o que impulsiona o uso de smartphones e demais devices tecnológicos, que demandam, por sua vez, mais conexão e serviços de telefonia e TV. “Desde que a pandemia começou, todas as pessoas mudaram, de alguma maneira, seus hábitos e isso acabou interferindo na dinâmica dos setores econômicos, que passaram a investir mais em publicidade”, comenta a porta-voz da consultoria.

Ao mesmo tempo em que alguns segmentos econômicos são impulsionados pelos diferentes hábitos de consumo, outros ainda sofrem os efeitos da paralisação das atividades e retração do interesse dos consumidores por conta das medidas restritivas de combate à pandemia. É o caso do setor de turismo, cujo investimento em publicidade recuou 43% no primeiro trimestre de 2021 na comparação com o mesmo período de 2020. O segmento de bebidas, que sofreu os impactos do fechamento dos bares e restaurantes em algumas grandes brasileiras na primeira parte do ano, teve um recuo de 27% nos seus investimentos em publicidade no primeiro trimestre do ano. A mesma queda também foi registrada no setor automotivo, que desde o ano passado também vem enfrentando dificuldades em meio à crise de Covid-19.

Fonte: M&M

Deixe uma mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>